Busca por curso prático triplica em clube de tiro santista

Recorde de venda de armas de brinquedo neste Natal!
fevereiro 12, 2019
Projeto prevê que mulheres possam usar spray de pimenta e arma de choque
fevereiro 13, 2019

O clube, que já conta com cerca de mil associados, tem registrado picos de atendimentos de pessoas em busca de informações sobre documentação, taxas, cursos e valores

Desde que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou o Decreto nº 9.685/19, que torna menos rígidos os critérios para alguém solicitar a posse de arma de fogo – que permite ter o equipamento em casa ou estabelecimento comercial -, a procura pelos cursos teórico e prático necessários para quem quer o direito à posse de armas triplicou. Quem afirma é João Carlos Cubas de Almeida, proprietário de um clube de tiro em Santos e ex-coronel da PM.

De acordo com ele, sem detalhar números por questão de segurança, o clube, que já conta com cerca de mil associados, tem registrado picos de atendimentos de pessoas em busca de informações sobre documentação, taxas, cursos e valores.

Há 40 anos no ramo, João explica que todo o processo para conseguir a posse de uma arma demora de 3 a 5 meses e não sai por menos de R$3 mil, mais o preço da arma. No total, cada cidadão tem direito a ter quatro armas e o prazo para renovar o registro da posse aumentou de 5 para 10 anos. Para o porte não houve ainda nenhuma alteração na lei.

PASSO A PASSO

Para solicitar a posse à Polícia Federal é necessário cumprir algumas exigências como: ter mais de 25 anos, residência e trabalho fixos, não ter antecedentes criminais nem processo em andamento, e comprovar capacidade técnica e psicológica.

“Como todo esse processo precisa estar documentado, tem gente que prefere pagar um despachante para cuidar da papelada. Enquanto isso, é necessário que o cidadão faça o curso teórico que, neste clube, é passado em 15 horas. Depois disso ele faz uma prova com 20 questões e precisa acertar pelo menos 12. Se aprovado, segue para a prova prática”, explica João.

Esta parte é divida em duas etapas. Na primeira é preciso dar 10 tiros no alvo a uma distância de 5 metros e acertar os locais que valem mais pontos, como cabeça e o tronco, em tempo cronometrado. A segunda consiste em 10 tiros no alvo a 7 metros em 40 segundos, o que dá cerca de 4 segundos por tiro.

Se não conseguir, é preciso começar tudo de novo. Se passar, será encaminhado para os testes de aptidão psicológica, que só podem ser realizados com psicólogos credenciados pela Polícia Federal. Após o trâmite, o processo com todas as certidões e resultados do curso é enviado à Polícia Federal, órgão que emite a licença da posse.

Cubas explica que o calibre máximo permitido ao cidadão comum é o 38.

EFETIVA NECESSIDADE

Se antes era necessário comprovar a efetiva necessidade, agora não precisa mais. Isso porque o decreto fixou que para obter uma arma de fogo é preciso morar em cidade com índice de homicídio superior a 10 por 100 mil  habitantes – índice superado por todos os estados do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *