‘Temos um presidente autoritário’ e gestão de Moro é uma ‘calamidade’, diz ex-ministro da Justiça

Turbulências atravessam bons sinais na economia
novembro 4, 2019
Desidratado, Projeto das Armas passa na Câmara e agrada deputados de oposição
novembro 7, 2019

O advogado criminalista José Carlos Dias, ministro da Justiça de FHC em 1999 e 2000, afirma em entrevista à Folha de S.Paulo que “temos um presidente autoritário”, que está jogando todas as cartas para conseguir revogar o Estatuto do Desarmamento”. Sobre a gestão do atual ministro da Justiça Sérgio Moro, Dias é contundente: “Uma calamidade”

247 – Em entrevista à jornalista Thaiza Pauluze na Folha de S.Paulo, o ex-ministro da Justiça José Carlos Dias, condena o autoritarismo de Jair Bolsonaro e critica severamente a gestão de Sérgio Moro à frente da pasta. 

O ex-ministro atualmente a lidera a Comissão Arns, criada em fevereiro por 20 notáveis da luta pelos direitos humanos, e integrada também por CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), ABI (Associação Brasileira de Imprensa) e OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).   

Ele classifica como calamidade a gestão do ministro da Justiça, Sergio Moro, que a seu ver não tem pulso e é desmoralizado pelo presidente.   

Na entrevista, José Carlos Dias criticou duramente o projeto de armas do governo Bolsonaro: “Nossa posição [Comissão Arns] é absolutamente contra esse projeto que aumenta e muito a possibilidade de a pessoa andar armada e ter arma em casa”.  […] “Estatísticas mostram que continua a haver um apoio grande da população à manutenção do desarmamento [segundo o Datafolha, 61% dos brasileiros são contrários a liberação da posse].   

“Hoje, temos um presidente autoritário, que está jogando todas as cartas para revogar o Estatuto do Desarmamento. É a cabeça dele. Está jogando para cima do Congresso o peso do próprio autoritarismo”.  

O ex-ministro também se declara contrário ao chamado pacote anticrime do ministro Sergio Moro.   “Temos que lutar contra esse projeto também. O principal absurdo é a questão da legítima defesa, que já existe no Código Penal. E transformar a legítima defesa com base na violenta emoção em causa para excludente de ilicitude é um absurdo. Justamente do agente [da segurança pública] é que você tem que exigir mais ponderação”.  

Ao avaliar o conjunto da gestão do ministro da Justiça Sérgio Moro, Dias é contundente: “Uma calamidade. Ele mostra que realmente era um juiz suspeito e está praticando atos antidemocráticos” […] “Moro é um ministro que aceita ser desmoralizado pelo presidente”.

Conheça a TV 247

Fonte: https://www.brasil247.com/brasil/temos-um-presidente-autoritario-e-gestao-de-moro-e-uma-calamidade-diz-ex-ministro-da-justica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *